Lisboa Card: vale a pena?

Quando cheguei à Praça do Comércio/Terreiro do Paço logo percebi aquele “i” gigante,  indicando a existência de uma Central de Informações Turísticas. O nome dado a elas em Lisboa é “Ask me Lisboa” e há várias espalhadas pela cidade (só nesse ponto são duas, uma quase ao lado da outra).  Também há uma central no aeroporto e em outros pontos turísticos, como Belém. Você pode conhecer um pouco mais sobre o Lisboa Card e também adquiri-lo no site oficial de turismo da cidade.

Central da Ask me Lisboa no Aeroporto

Como sempre faço quando vejo um prédio ostentando aquele “i”, entro rapidinho em busca de alguma informação nova, de um ponto turístico desconhecido, de um cupom de desconto, de um bate papo com a atendente (que sempre tem uma dica para dar) ou simplesmente para pegar/comprar alguns mapas da cidade (em muitas ocasiões sou analógica).  Dessa vez foi diferente, pois acabei fazendo uma das melhores descobertas da viagem: o Lisboa Card. Eu já tinha lido sobre esse cartão de descontos em alguns blogs, mas as opiniões eram dissonantes (havia os que diziam valer a pena e os que consideravam que o custo/benefício não compensava).

Acredito que  a decisão de comprar ou não tem muito a ver com o perfil do viajante e com o tempo de permanência no destino. Há os que se contentam com um passeio no ônibus turístico, os que preferem conhecer tudo nos mínimos detalhes, os que valorizam mais as compras e a gastronomia e assim por diante.

Como eu tinha certo tempo e sou bem eclética nos gostos (vale museu, igreja, parque, aquário, mirante), foi uma ótima aquisição!  Já fui muito mais consumista (e isso me fazia perder um tempão nas viagens). Hoje dedico as noites a um passeio gastronômico e o dia para flanar pelos pontos turísticos (ou não) e descobrir um pouco mais sobre as cidades que visito) . Por falar em compras e comida também há um cartão dedicado a isso. Chama-se eat &shop. Não o adquiri, e não sei bem como funciona, mas está a venda no mesmo local do Lisboa Card.

O meu tempo turístico em Lisboa era suficiente para desfrutar com calma de algumas das atrações da cidade, mas não era contínuo. O objetivo principal da minha visita era participar de um Congresso e eu organizava os passeios nos períodos em que não estava no evento.

Como cheguei um pouco antes do início das minhas atividades e já tinha usado o primeiro dia para visitar o Convento do Carmo e o Castelo de São Jorge (que não aceita o Lisboa Card) restavam outros dois dias completamente livres. Por isso, adquiri o cartão de 48 horas, que foi ótimo. Recomendo muitíssimo!  Aliás, se você puder pegar o de 72 horas, vale ainda mais a pena (o custo vai se diluindo com o passar dos dias).

 Já visitei algumas cidades da Europa e acredito que o Lisboa Card esteja entre os melhores cartões de benefícios para turista (o de Paris também é muito bom). Em 2016, paguei 31,50, mas acabei de pesquisar os valores atualizados no site e descobri que houve um pequeno reajuste*.

O cartão de 24h custa € 19,00 , o de 48h € 32,00 e o de 72h € 40,00 (*Valores pesquisados em maio de 2018).

O que é e como funciona?

Trata-se de uma iniciativa conjunta de várias entidades cujo objetivo é fortalecer o turismo na região de Lisboa. O cartão é vendido nos Centros de Informação Turística (aqueles sobre os quais falamos ali em cima) e pela internet (no site que também mencionamos no início da postagem)   e trazem  uma série de vantagens ao turista:

  • Acesso gratuito ao transporte público (elétrico, metro, autocarros, elevadores operados pela CARRIS e  viagens de trem para Sintra e Cascais).
  • Entradas em museus e atrações turísticas com descontos que vão de 10 a 100%. Em 28 museus e monumentos a entrada é liberada com o uso do cartão e em muitos outros há um percentual de desconto. É só apresentar nas bilheterias que o acesso é liberado ou o desconto é concedido.
  • Cupons de desconto diversos (estacionamentos, shopping, tours guiados entre outros).

Parece ótimo, não é mesmo? (E é!), mas  antes de adquirir o cartão é muito importante que você efetue um planejamento atentando para os seguintes pontos:

1) Verificar em o valor das atrações e utilizar o cartão naquelas onde há maior desconto.

Por exemplo: utilizar o cartão em Belém é um ótimo negócio, pois quase todas as atrações do bairro ficam próximas umas as outras e são gratuitas com o uso do Lisboa Card (Mosteiro dos Jerônimos, Torre de Belém, Museu Nacional dos Coches, etc.).  Sem o uso do cartão elas são bastante dispendiosas, então, nesse caso, vale a pena. Logo abaixo fiz uma tabela em que apresento os valores (esse são do final de 2016, mas servem como referência…).

2) Programar um dia para ir nas atrações que não aceitam o Lisboa Card ou que oferecem um desconto muito pequeno.

Não dá pra ter o cartão nas mãos e perder tempo em locais que não o aceitam.  Por isso reserve um dia somente para conhecer esses locais. (Por exemplo: o Castelo de São Jorge é uma das atrações que não fazem parte dos locais que aceitam o cartão)

3) Verificar o melhor horário para ativar o cartão.

Ativei o meu cartão pela primeira vez em uma terça feira às 10h45m para entrar no Arco da Rua Augusta. Antes disso, tirei fotos na Praça do Comércio e visitei atrações que não necessitavam o uso do cartão nos arredores. Em função desse horário, consegui utilizá-lo até quinta-feira às 10h45min o que me permitiu, nas últimas horas de validade do cartão, pegar o metro, subir e descer no elevador de Santa Justa, pegar um ônibus até o Palácio Nacional Ajuda, que abria às 10h, chegar lá às 10h40min (em cima da hora) e aí sim, visita-lo com tranquilidade. Só não esqueça, que após o vencimento, o cartão não funciona mais no transporte público. Então, tenha sempre o seu Viva Cidade carregado junto com você.

4) Planejar o roteiro de acordo com o horário de funcionamento das atrações

Em Lisboa, grande dos museus e monumentos abre as portas entre 9h e 10h e muitos deles encerram suas atividades às 18h.  Por isso é importante buscar atrações que fiquem abertas até mais tarde, tais como Oceanário e o Lisboa Story Centre, que funcionam até às 20h, e programa-las para o final do dia. É importante atentar para o horário permitido para última entrada, que obviamente não é o mesmo do encerramento.

Meu primeiro dia com o Lisboa Card= Economia de € 15,40 (valores de set. 2016)

Atividade

Sem Lisboa Card Com  Lisboa Card
Passe diário para uso no transporte público 6,00 Gratuito
Arco da Augusta 2,50 Gratuito
Torre de Belém + Mosteiro dos Jerônimos 12,00 Gratuito
Padrão do Descobrimento 4,00 2,80
Museu Nacional dos Coches + Picadeiro Real 8,00 Gratuito
Museu da Marinha 5,00 3,35
Total 37,50 6,15 + 15,95  (valor proporcional do Lisboa card*)= 22,10
Meu segundo dia com o Lisboa Card= Economia de € 15,15 (valores de set. 2016)

Atividade

Sem Lisboa Card

Com  Lisboa Card

Passe diário para uso no transporte público 6,00 Gratuito
Comboio para Cascais (ida e volta) 4,30 Gratuito
Museu Nacional do Azulejo 5,00 Gratuito
Oceanário de Lisboa 18,00 11,90
Lisboa Story Center 7,00 Gratuito
Total 43,00 11,90 + 15,95 (valor proporcional do Lisboa card*)= 27,85

Nessas tabelas não contabilizei o uso que fiz no terceiro dia (até às 10h45min). Mas para subir e descer o Elevador de Santa Justa são € 5,15 e para visitar o Palácio Nacional da Ajuda mais € 5,00.  A economia total foi um de um pouco mais de € 40,00.  E tem mais uma surpresinha. Quando você compra o Lisboa Card recebe junto com ele um livrinho que contém várias informações sobre as atrações turísticas: endereço, horário de funcionamento, desconto concedido, forma de chegar usando o transporte público e um breve resumo sobre o local.  De tão útil que achei, guardei e trouxe comigo.

20170420_175831
Descrição e informação de uma atração no livrinho do Lisboa Card

 Ah, pelo que li nos últimos dias o cartão está de cara nova… então não se assuste ao receber um diferente do da foto.

Para terminar: Se o objetivo do cartão é fomentar e fortalecer o turismo, estão todos de parabéns.  Recomendo muito!

Viagem realizada entre os dias 06 e 11 de setembro de 2016.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *