Descolagem?

Em setembro de 2016 viajei pela primeira vez a Portugal. Antes da partida, eu e os outros passageiros, cumprimos aquele mesmo ritual: localização do assento, acondicionamento da mala e colocação do cinto de segurança. Através do sistema de som começamos a receber instruções e informações sobre o voo. Não tardou muito para que a chefe de cabine comunicasse que logo se iniciariam os procedimentos para a “descolagem”. Minha reação imediata foi achar graça naquele “S” sobressalente. Mas logo em seguida, comecei a pensar que os portugueses poderiam ter toda a  razão em usar essa palavra para descrever o ato de abandonar o solo. Procurei na memória termos que são usadas em outras línguas para definir essa mesma ação:  take-off em inglês, despegue em espanhol (…)

Foi aí que me dei conta que todas essas expressões têm muita relação com o que eu sinto cada vez que viajo. Além do deslocamento no tempo e no espaço,  a viagem produz  todo um processo de ruptura, com lugar, com o cotidiano, com as pessoas, que muitas vezes começa antes mesmo do ato de viajar e que, por vezes, permanece em nós por um bom tempo.

Planejar uma viagem é viajar… nas imagens, nas narrativas, nos desejos. Compartilhar os acontecimentos é uma forma de manter a viagem viva na memória, é tomar posse, é abraçá-la.

Sempre pensei que o mundo seria muito melhor se todos tivessem a oportunidade de viajar e encontrei no compartilhamento das minhas “aventuras” uma forma de tornar a viagem mais próxima de todos, nem que seja aquela proporcionada pela tela de um computador.

Não viajo com a frequência que gostaria, tampouco sou uma expert em roteiros e destinos.  Sou apenas uma apaixonada por malas, estradas, aeroportos, guias, livros e  blogs, que transformou o amor pelo ato de viajar no objeto de estudo de sua tese de doutorado. Este blog é uma tentativa de materializar o que tenho vivido durante esse tempo de estudo.  Estou aqui para dividir minhas experiências, erros e acertos e com isso espero trazê-los comigo em minhas viagens.

Encaro os escritos neste blog como um exercício para construção da minha Tese de Doutorado.  Caso desejem compartilhar suas impressões, ficarei imensamente feliz.